Gustavo Moura representa Brasil na exposição Nova Fotografia Ibero-Americana

GUSTAVO MOURA REPRESENTA BRASIL NA EXPOSIÇÃO NOVA FOTOGRAFIA IBERO-AMERICANA

O fotógrafo paraibano Gustavo Moura participará da exposição Nova Fotografia Ibero-Americana, a ser realizada no Instituto Cervantes – Palais Wiener von Welten em Viena (Áustria) entre os dias 16/09 e 17/10/2021, representando o Brasil junto a fotógrafas e fotógrafos de outros 16 países da Ibero-América. Segue abaixo texto sobre a exposição.

NOVA FOTOGRAFIA IBERO-AMERICANA

O Club Ibero-América Viena (CIAV), formado por todas as embaixadas na Áustria da América do Sul, América do Norte, América Central e Caribe, Andorra, Espanha, Portugal e o Instituto Cervantes, promove sinergias para elevar o perfil da Ibero-América como um todo, seus idiomas oficiais – espanhol e português – e suas culturas. Uma referência para o mundo contemporâneo.

Por um lado, um grupo de países diversos com suas singularidades, seus interesses, suas conquistas na ciência, arte e cultura em geral. E, por outro lado, um bloco institucional que compartilha e mostra a realidade da cultura hispânica e lusófona na Áustria.

Com a exposição Nova Fotografia Ibero-Americana não pretendemos dar uma amostra exaustiva da vasta gama criativa da fotografia atual em toda a Ibero-América. Estamos contentes em destacar fragmentos de um todo que é dimensionado por dois idiomas e uma cultura común.

Esta vasta geografia cultural que, com a ruptura dos cânones estéticos eurocêntricos, começou a ouvir sua própria voz e a deixar-se seduzir pela imagem de suas exuberantes periferias. Uma voz que exala criatividade e novidade em todas as suas manifestações artísticas.

Esta realidade mista e a qualidade das artes visuais na Ibero-América é corroborada por esta vibrante exposição de fotografia. Uma exposição que projeta todas as dimensões de uma cultura que se estende por dois continentes a partir do caleidoscópio que o Instituto Cervantes-Palais Wiener von Welten se tornou a partir do próprio centro de Viena.

A exposição Nova Fotografia Iberoamericana, criada e produzida pelo Club Ibero-América Viena (CIAV), mostra 36 fotografias de 27 artistas contemporâneos de 17 países.

ANDORRA
Carles Esteve
ARGENTINA
Juan Cruz Olivieri
BRASIL
Gustavo Moura
CHILE
Claudia Vásquez
Nicole L’Huiller
Magdalena Correa Larraín
COLÔMBIA
Javier Vanegas
COSTA RICA
Juan Antonio Tribaldos Hernández
Luis Solano Pochet
REPÚBLICA DOMINICANA
Hilda Pellerano
Carlos Rodríquez
EQUADOR
Pablo Corral Vega
EL SALVADOR
Omar Carbonero
GUATEMALA
Sergio Izquierdo
HONDURAS
Elias Assaf
Juan Bendeck
NICARÁGUA
Celeste González
César Pérez
PANAMÁ
Sofía Verzbolovskis
Tito Herrera
PARAGUAI
Oscar Rivet
Suvi Suovaara
PERU
Víctor Neira
Cristina Hara
PORTUGAL
Duarte Belo
ESPANHA
Naia del Castillo
Chema Madoz
URUGUAI
Nancy Horowitz
José María Moreira

“O que sonham os dragões” : Evento de compartilhamento do curso Dragões Sonhadores

O QUE SONHAM OS DRAGÕES

Amanhã, às 18h30, no canal Rede Turismo de Base Comunitáriahttps://cutt.ly/unJLbkz – teremos o evento de resultados do curso “Dragões Sonhadores: fomentando o turismo sustentável nas comunidades tradicionais por meio de projetos participativos“, com as duas rotas turísticas de base comunitária criadas.

O desenvolvimento desses projetos, de modo integrado pela Rede, tem o objetivo de fortalecer o turismo paraibano, em especial as singularidades das nossas comunidades e suas diversidades.

Venha se emocionar e conhecer mais sobre as comunidades tradicionais e multiculturais do Litoral e Brejo Paraibano!

Mais informações você acompanha em @maracacidadania e @turismocomunitariopb

Estímulo ao turismo sustentável nas comunidades tradicionais

ESTÍMULO AO TURISMO SUSTENTÁVEL NAS COMUNIDADES TRADICIONAIS

Saímos na matéria do @jornalauniao, por conta do curso promovido pela Maracá Cidadania em parceria com a @ufpb.oficial @unb_ofical @mturismo tem como objetivo promover roteiros integrados de turismo de base comunitária, envolvendo dez comunidades tradicionais indígenas, quilombolas e assentamentos rurais da região do Litoral e do Brejo paraibano.

Nós da Maracá Cidadania estamos imensamente gratos pela oportunidade de atuar para o fortalecimento dos territórios por meio do turismo de base local e comunitária atuando em rede, de forma colaborativa e participativa.

Gratidão a todas as comunidades pela confiança no nosso trabalho e pela participação ativa nessa rede pioneira na Paraíba.

E nossos agradecimentos aos professores@zalmadinizaraujo @fabianenagabe @professorandregustavo, pelo convite

COMUNIDADES
Assentamento Nova Margarida | Alagoa Grande
Quilombo Mundo Novo | Areia

Chã de Jardim | Areia
@lucbalbino
@chadejardim

Quilombo de Caiana dos Crioulos | Alagoa Grande
@professoralucienetavares
@caianadoscrioulos

Assentamento Tambaba | Conde
@sitio_tambaba
@silva_nevinha1

Aldeia Barra de Gramame | Povo Tabajara | Conde
@juscelino_tabajaraa
@indigenastabajara
@ihana_potiguara

Quilombo Mituaçu | Conde
@irenilzerobertodapaixao
@marcosmituassu

Gramame | João Pessoa
@ivanildosantanaduarte
@olhodotempo

Porto do Capim | João Pessoa
@portodocapim
@garcasdosanhaua
@respeitemosribeirinhos

#cidadania
#inclusão
#turismodebaselocal
#roteirosintegrados
#povostradicionais
#comunidadestradicionais
#roteirosturisticos
#turismo
#Paraíba

ONG Maracá Cidadania realiza Curso de Construção de Projetos com Rede de Turismo de Inclusão

ONG MARACÁ CIDADANIA REALIZA CURSO DE CONSTRUÇÃO DE PROJETOS COM REDE DE TURISMO DE INCLUSÃO

Ocorrerá hoje, às 18:30, no canal do Youtube do Curso de Turismo da Universidade Federal da Paraíba, a abertura do Curso: “Dragões Sonhadores: fomentando o turismo sustentável nas comunidades tradicionais por meio de projetos participativos”.

O Curso é o produto final da Pesquisa Aplicada: Concepção de Referenciais Metodológicos para os Planos Territoriais, Programas e Projetos de Qualificação no Turismo Nacional. Tal pesquisa foi demandada pela UNB, em parceria com o Ministério do Turismo, e será ministrada pela ONG Maracá Cidadania.

Na Paraíba, a Pesquisa ficou sob a coordenação dos professores Rosalma Diniz Araújo (Coordenação geral), Fabiane Nagabe (Coordenação adjunta), ambas do Curso de Turismo da UFPB, e do Professor André Gustavo da Silva (Coordenação adjunta), do IFCE.

O Curso foi modelado pela Rede Rota Turismo de Inclusão, formada no decorrer da pesquisa, que realizou diagnósticos junto à oferta e demanda turísticas nas regiões do litoral e brejo paraibanos. A ideia é trabalhar a qualificação profissional nas comunidades tradicionais do Estado, no intuito de agregar ao já existente do turismo de “sol e mar”, uma oferta turística que possa viabilizar e visibilizar o potencial da cultura paraibana representada pelas comunidades tradicionais (ricas em paisagem, gastronomia, dança, histórias, tradições, entre outros atrativos), fortalecendo o sistema produtivo local e gerando renda para comunidades rurais, ribeirinhas, quilombolas e indígenas, por meio do turismo.

A ONG Maracá Cidadania foi convidada para ministrar o curso, e utilizará a  metodologia do Dragon Dreaming, que concebe projetos participativos de forma colaborativa, ideal para grupos, coletivos e comunidades. 

A Maracá Cidadania é uma organização sem fins lucrativos fundada em 2013,  que tem como missão promover o desenvolvimento sustentável com base na construção de uma consciência  planetária, por meio de projetos dedicados ao exercício da cidadania enquanto prática cultural transversal.

O turismo, como uma atividade econômica que traz em seu bojo toda uma cadeia produtiva e simbólica, precisa ser pensado e trabalhado como um instrumento de inserção e de uma mudança desejada em direção a um futuro mais justo e equânime. E a qualificação/educação profissional é um dos instrumentos mais poderosos para transformar realidades.

>>> 

Responsáveis pela matéria: Coordenação PNQT-PB e ONG Maracá Cidadania.

Ateliê Multicultural Elioenai Gomes dedica edição virtual do Acolhimento Afetivo a profissionais de escolas públicas

ATELIÊ MULTICULTURAL ELIOENAI GOMES DEDICA EDIÇÃO VIRTUAL DO ACOLHIMENTO AFETIVO A PROFISSIONAIS DE ESCOLAS PÚBLICAS

Cuidar de quem cuida é o objetivo do ciclo 2021 do projeto Acolhimento Afetivo, uma ação contínua do Ateliê Multicultural Elioenai Gomes, realizada desde 2006, que visa nutrir de afeto a rede de educação pública e fortalecer as relações humanas entre professores/as, coordenadores/as e alunos/as.

Para participar, basta fazer sua inscrição preenchendo o formulário disponível neste link: https://bit.ly/3lmLl1b 

Os acolhimentos têm o propósito de cuidar da educação, da cultura e da cidadania, por meio de oficinas e rodas de conversa oferecidas a grupos de escolas e organizações da sociedade civil.

Em 2018, 14 escolas da rede pública municipal de João Pessoa homenagearam o artista multivisual e gestor cultural Elioenai Gomes por sua contribuição social e trajetória artística. Entre 2019 e 2020, o Ateliê Multicultural e a Maracá Cidadania realizaram um ciclo de 7 acolhimentos por meio de parceria com a rede Varadouro Cultural e convênio com a Fundação Espaço Cultural José Lins do Rêgo (FUNESC), como parte do projeto Circuito Varadouro Cultural (para acessar o relatório do projeto, clique aqui).

Agora em 2021, com o tema “Quem é você no povo brasileiro?”, mais uma vez o Ateliê Multicultural e a Maracá Cidadania se unem para oferecer uma edição virtual do Acolhimento Afetivo aos/às professores/as, coordenadores/as e lideranças das comunidades escolares parceiras, no dia 24 de março, quarta-feira, às 14h00, via aplicativo Zoom, com o objetivo de proporcionar um espaço de diálogo e troca de saberes sobre questões ligadas (i) à identidade cultural brasileira e (ii) ao papel da arte como ferramenta de humanização, educação e transformação social.

Esta ação está sendo realizada como contrapartida ao recebimento dos recursos do Edital de Chamada Pública nº 004/2020 FMC / FUNJOPE / PMJP, provenientes da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc (Lei nº 14.017/2020).

#varadouro
#parahyba
#leialdirblanc
#emergênciacultural

REALIZAÇÃO
Ateliê Multicultural Elioenai Gomes
Maracá Cidadania

REDE COLABORATIVA
@tutuucarvalho
@ib.violista
@aguiardanylo
@ateliejardimdaju
@dasfolhasfitocosmeticos
@varadourocultural

Um Cidadão do Mundo: Celso Furtado

UM CIDADÃO DO MUNDO: CELSO FURTADO

Senta, que lá vem história!

Nascido em Pombal, no Sertão paraibano, Celso Furtado foi um economista e um dos mais destacados intelectuais do Brasil ao longo do século XX, ocupando cargos de grande importância no cenário nacional e internacional. Foi integrante da Comissão Econômica para a América Latina – CEPAL (1949), criador da Superintendência para o Desenvolvimento do Nordeste – SUDENE (1959), Ministro do Planejamento (1962-1964), Ministro da Cultura (1986-1988), ficando conhecido globalmente como um dos pioneiros a incluir o combate da desigualdade na pauta da economia.

Celso Furtado dedicou sua vida à luta por outro modelo econômico para o Brasil, por um desenvolvimento desconcentrador, fundamentado na diversidade cultural regional brasileira. Neste ano de celebração do centenário de seu nascimento, produzimos e agora compartilhamos a contação de história Um Cidadão do Mundo, em homenagem a este ilustre paraibano, que até hoje tanto nos inspira.

A transmissão será feita nesta quinta-feira, 03/12, no canal da Maracá Cidadania no YouTube, a partir das 18h.

FICHA TÉCNICA

Roteiro e direção de arte: Rafaela Kleinhans Pereira @rafadasfolhas
Ilustrações: Tayana Gabriely Pedroso das Neves @falaserioisso e Rafaela Kleinhans Pereira @rafadasfolhas
Captação de Som e Imagem: Giovanna Torres Fabbri @giovannatfabbri
Edição de vídeo: Paulo Roberto Rocha @paulorocha_motion
Participação especial: Humberto Escorel
Fotografias de Pombal: Gustavo Moura @gmourafoto

SERVIÇO

O quê? Contação de história > Um Cidadão do Mundo: Celso Furtado
Quando? Quinta-feira, 03 de dezembro, às 18h
Onde? Transmissão pelo canal da Maracá Cidadania no YouTube, acessível pelo link https://bit.ly/2JmOMXf

>>>

Este vídeo foi realizado com recursos da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, Lei Federal nº 14.017, de 29 de junho de 2020. Com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura e do Governo do Estado da Paraíba por meio do Edital nº 003/2020 – EDITAL FERNANDA BENVENUTTY.

Paraíba, 03 de dezembro de 2020.

#leialdirblanc
#leialdirblancpb
#somostodosparaíba
#centenáriocelsofurtado

Auto dos Orixás 2020 : ADARRUM > Invocando o sagrado

AUTO DOS ORIXÁS 2020

ADARRUM > Invocando o sagrado

O toque do tempo...
O movimento…

Com os Caminhos Abertos por Ogum,
Junto a Força e a Coragem de Oyá,
O Masculino e o Feminino Unidos

E Protegidos em uma mesma Força,
Guerreiros Reais, Feitos de Ferro, Cobre, Ouro e Pó.
No Chamado Ancestral, a Retomada, o Equilíbrio, a Cura!
O Ontem o Hoje e o Amanhã aos Pés da Árvore Sagrada.
Que se Movam as Águas Sagradas de Tempo,
Adarrum, Invocando o Sagrado que Existe em cada Um de Nós

A 10ª edição do ato público/espetáculo Auto dos Orixás traz um caminho que segue a flecha certeira da fé e da arte. Um caminho de laços afetivos determinados no fazer artístico como ferramenta de enfrentamento ao racismo, à intolerância afro religiosa e ao preconceito para com a cultura dos nossos ancestrais.

Chamada ADARRUM > Invocando o sagrado, a edição deste ano do espetáculo/ato público terá um formato virtual de curta metragem, com direção e roteiro do cineasta Thomas Freitas e direção de arte do artista multivisual Elioenai Gomes. O vídeo será transmitido na sexta-feira, 20 de novembro, às 19h, no canal do Ateliê Multicultural Elioenai Gomes no YouTube, acessível pelo link bit.ly/CanalAteliêMulticultural.

O Ateliê Multicultural Elioenai Gomes convida a todos e todas para invocar a força e o sagrado que existe em nós para celebrar o Dia Nacional da Consciência Negra, com a união do masculino e feminino, chamando a ancestralidade para o equilíbrio, a cura e a elevação planetária.

>>>

FICHA TÉCNICA

Direção e Roteiro: Thomas Freitas
Direção de Arte: Elioenai Gomes
Elenco: Luciana Peixoto – Tutu Carvalho – Norma Góes – Luciano Peixoto – Elioenai Gomes
Participação especial: Musicista Iberê Carvalho
Percussão / Ogãs: Alisson Fagner – Dudu Rodrigues – Lucivan Laranjeira – Pedro Tiago
Fotografia: Li Vasc
Assistência: Solnaya Nunes

Realização: Ateliê Multicultural Elioenai Gomes
Apoio: Maracá Cidadania e Varadouro Cultural

>>>

SERVIÇO

O quê? Auto dos Orixás 2020 (10ª edição): ADARRUM > Invocando o sagrado
Quando? 20 de novembro às 19h, Dia Nacional da Consciência Negra
Onde? Transmissão virtual pelo canal do Ateliê Multicultural Elioenai Gomes no YouTube, acessível pelo link bit.ly/CanalAteliêMulticultural
Quanto? Atividade gratuita

Gustavo Moura celebra 40 anos de fotografia com lançamento do livro “PARAHYBA > Braços de rio, abraço do oceano”

GUSTAVO MOURA CELEBRA 40 ANOS DE FOTOGRAFIA COM LANÇAMENTO DO LIVRO “PARAHYBA > BRAÇOS DE RIO, ABRAÇO DO OCEANO”

“Nem a distança das mia,
nem a grandeza do mar;
me faz isquece um só dia
da minha terra natá!”

(Zé da Luz)

Artéria vital que batiza o estado onde vivemos, o Rio Parahyba navega desde a Serra do Jabitacá em Monteiro e se arrasta a desenhar por entre as terras áridas e férteis do Cariri paraibano. Contempla a bela e descuidada paisagem que serpenteia as geografias agrestes onde são formados os açudes de Boqueirão e Acauã, entre outros, fontes vitais do abastecimento hídrico de suas regiões. Segue seu curso alimentado por afluentes, passando pela capital, onde é abraçado pelo Rio Sanhauá – cenário do início da colonização do território paraibano – e segue em busca das águas salgadas do litoral norte para encontrar o Atlântico entre Santa Rita e Cabedelo.

Com fotografias de Gustavo Moura, poema do escritor Hildeberto Barbosa e texto do professor Diego Gomes de Lucena, o livro PARAHYBA – Braços de rio, abraço do oceano é um projeto editorial da Maracá Cidadania, realizado em parceria com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), com apoio do Núcleo de Arte Contemporânea (NAC) e da Editora UFPB.

Fruto de um mergulho no universo do rio por meio do olhar do fotógrafo paraibano, a publicação representa um marco no mercado editorial da Paraíba, enquanto livro inédito dedicado ao Parahyba.

“Quero agradecer e divulgar os créditos de quem fez um trabalho exemplar para a realização desse projeto, que teve a coordenação editorial da Maracá Cidadania (Gabriel Moura) e foi realizado com a produção impecável do amigo e parceiro incansável Valdir Santos (coordenador do NAC). Sem a companhia dele seriam impossíveis as nossas expedições. Essa realização contou ainda com todo apoio da UFPB, PRAC (professor Orlando Vilar e do administrador Amorim), da editora universitária (professora Izabel e Hossein Albert, amigo responsável pelo projeto gráfico) e também com a dedicação do professor e parceiro Antônio Gualberto (coordenador da COEX). Em nome dessas pessoas agradeço aos demais companheiros, fundamentais na realização de um projeto dessa grandeza. Sou só gratidão. Com essa publicação celebro os meus 40 anos de atividades fotográficas e manifesto minha retribuição aos 38 anos que trabalhei na UFPB, onde realizei importantes projetos. Bênçãos.”, diz Gustavo.

A publicação celebra os 40 anos de trajetória artística de Gustavo Moura e simboliza um gesto de gratidão do fotógrafo a todos os seres que o abraçaram nesse percurso.

COMO ADQUIRIR
Com capa flexível, 168 páginas, miolo em cor e apenas 150 exemplares disponíveis, o livro está sendo comercializado pelo valor de R$ 120,00 (cento e vinte reais). Quem se interessar em adquiri-lo pode entrar em contato através do telefone 83 99984-4794 (WhatsApp) ou pelo e-mail gmourafoto@gmail.com.

Inscrição rupestre no município do Congo,
arredores do Rio Parahyba.

Campanha de Financiamento Coletivo

CAMPANHA DE FINANCIAMENTO COLETIVO

A Maracá Cidadania é uma organização da sociedade civil, fundada como associação sem fins lucrativos em 2013, com a missão de promover a cidadania enquanto uma prática cultural transversal, capaz de dialogar com as diversas áreas da vida pública.

No atual momento de pandemia, a maior parte das atividades da Maracá Cidadania estão paralisadas, em especial a captação de recursos via execução de projetos, prestação de serviços e realização de ações. No entanto, os custos de manutenção permanecem. Neste cenário, para que nossa instituição continue ativa, estamos realizando esta Campanha de Financiamento Coletivo e contamos com sua colaboração.

Os CUSTOS de manutenção da organização, por ano, totalizam um valor de aproximadamente R$ 3.000,00 (três mil reais), abrangendo os seguintes itens:

  • Despesas contábeis (r$300 por ano) = R$ 300,00
  • Registro de ata em cartório (r$80 por ano) = R$ 80,00
  • Endereço fiscal (r$110 por mês x 12 meses) = R$ 1.320,00
  • Despesas bancárias (r$83 por mês x 12 meses) = R$ 996,00
  • Domínio da página maracacidadania.org (r$210 por ano) = R$ 210,00
  • Hospedagem da página maracacidadania.org (r$80 por ano) = R$ 80,00

Esses são os principais PROJETOS realizados por nós desde a criação da organização:

  • Projeto Rio Parahyba por Gustavo Moura (2013 adiante)
  • Kolofé – Um caminho de expansão Afro Cultural por Elioenai Gomes – 3º Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-Brasileiras (2014) : vimeo.com/127951706
  • Festival Aiê (2016, 2018) : youtu.be/pRm8pGHw1bU
  • Acolhimento Afetivo AfroIndígena (2019, ação contínua) : youtu.be/ZQDEncekgks

Para mais informações sobre nossos PROJETOS, SERVIÇOS e AÇÕES, convidamos a acessar a página www.maracacidadania.org e nos acompanhar nas redes sociais.

Facebook: fb.com/maracacidadania
Instagram: instagram.com/maracacidadania

Desde já agradecemos!

Acolhimento Afetivo AfroIndígena 2019-2020

ACOLHIMENTO AFETIVO AFROINDÍGENA 2019-2020

“Quando a Educação se afasta da Cultura ela perde sua alma. Quando a Cultura se afasta da Educação ela perde seu corpo. Reaproximar Cultura e Educação é reaproximar corpo e alma.” (Célio Turino) 

O Ateliê Multicultural Elioenai Gomes e a Maracá Cidadania, em parceria com a rede Varadouro Cultural e a Fundação Espaço Cultural (FUNESC), realizaram o projeto Circuito Varadouro Cultural – Programação Ateliê Multicultural Elioenai Gomes, entre agosto de 2019 a janeiro de 2020, com foco na realização de atividades de ARTE-EDUCAÇÃO junto a grupos de crianças e jovens de escolas públicas e organizações da sociedade civil.

Para o idealizador e coordenador do projeto, o artista multivisual Elioenai Gomes, “Firmar parcerias com as instituições culturais do Estado se faz necessário para que ações afirmativas como estas (Acolhimento Afetivo Afro Indígena), que utilizam a arte como ferramenta principal de educação, promovendo o resgate, fortalecimento e visibilidade da identidade Paraibana, Brasileira, sejam contínuas. Crianças crescem!”.

Por meio da parceria com a FUNESC, foram realizados sete Acolhimentos Afetivos AfroIndígena, com atividades educativas, culturais e artísticas que trabalharam temas fundamentais para o desenvolvimento educacional e cidadão, a exemplo de identidade cultural, cultura afro, cultura indígena, cidadania, patrimônio cultural e meio ambiente. Os Acolhimentos Afetivos são uma AÇÃO CONTÍNUA realizada por Elioenai Gomes desde o ano de 2006, abrangendo as temáticas afro indígena, cidadania, arte, entre outras.

Durante os acolhimentos, foram oferecidas rodas de conversa e oficinas de dança afro, música, percussão, música para banda marcial, contação de histórias, brincadeiras populares e criação de peças artísticas a partir da utilização de materiais recicláveis. 

A professora Tatiana Constantino, da EMEF Ana Nery (Alto do Mateus), diz que “Nós só temos a agradecer em nome da escola e dos educadores, esse trabalho de utilizar a criatividade deles confeccionando objetos diversos, inclusive eles aproveitam o espaço para pegar elementos da natureza, então esse é um projeto que futuramente pode desencadear futuros artistas, quem sabe?!“.

Ao todo foram acolhidas 242 pessoas, com faixa etária entre 05 a 15 anos, que participaram de 14 oficinas, ministradas por 06 facilitadores nas áreas de dança, música, artes visuais e brincadeiras populares

Para a realização das atividades foram investidos R$ 10.420,00 na economia local, por meio da contração de serviços ligados ao campo da economia criativa. Com este recurso, foram atendidos 7 grupos, sendo 4 escolas públicas e 3 organizações da sociedade civil, dos bairros de Cruz das Armas, Mangabeira, Roger, Bairro dos Novais e Alto do Mateus, em João Pessoa/PB, e uma do município de Santa Rita/PB, com destaque para a ONG Aldeias Infantis SOS, que está acolhendo crianças venezuelanas refugiadas na Paraíba.

A diretora presidente da Maracá Cidadania, Juliana Jardim, conta que “Para a Maracá Cidadania, ficar responsável pela produção executiva do projeto foi um grande aprendizado, com a preparação dos processos de acolhimento, desde a preparação dos lanches com muito carinho e com sabor de casa à contratação de oficineiras(os) e logísticas. Ver o sorrisos das crianças foi muito gratificante e nosso sentimento de missão cumprida. Cada acolhimento uma emoção. Encerramos com o projeto de forma gratificante, com o acolhimento das crianças refugiadas da Venezuela, onde sentimos que afeto não tem fronteiras e a arte é uma profunda ferramenta de humanização e exercício da cidadania.”.

MAIS INFORMAÇÕES

Neste mês de junho, o relatório final do projeto foi enviado à FUNESC, devido à impossibilidade de seguir com as atividades no atual contexto de distanciamento social. Para saber mais sobre o projeto, acesse:

Vídeo sobre o projeto: www.youtube.com/watch?v=ZQDEncekgks 

Relatório final: Acolhimento Afetivo AfroIndígena 2019-2020

EQUIPE

Coordenação geral: Elioenai Gomes
Produção executiva: Juliana Jardim e Danylo Aguiar
Produção: Rafaela K. Pereira, Lili Meireles e Gabriel Moura
Fotografia: Giovanna Fabbri, Juliana Jardim, Nara Rúbia e Gabriel Moura
Oficineir@s: Elioenai Gomes, Luciana Peixoto, Luciana Portela, Alisson Almeida, Alessandro André e Rafaela K. Pereira
Design do cartaz: Juliana Jardim
Design do relatório: Daniel Vincent

>>>

ATELIÊ MULTICULTURAL ELIOENAI GOMES > ateliemulticultural.com.br/

Elioenai Gomes, artista plástico paraibano nascido em João Pessoa-PB, cuja trajetória artística de 30 anos inclui diversas exposições individuais, coletivas e instalações no Estado, no Brasil e no exterior. Idealizador de criações artísticas e campanhas sociais para os movimentos sociais, políticos e culturais da capital, bem como de todo o país. Atualmente coordena o Ateliê Multicultural Elioenai Gomes, referência de multiculturalidade na cidade e especificamente no centro histórico de João Pessoa.

Fundado em 2004, o Ateliê Multicultural Elioenai Gomes é uma instituição que desenvolve ações educativas e socioculturais centradas  no processo de humanização da população do Varadouro, bairro do Centro Histórico de João Pessoa, Paraíba, utilizando a arte como ferramenta de inclusão social produtiva e de cidadania. Referência de multiculturalidade na capital paraibana, o Ateliê integra as mais diversas formas de expressões artísticas – música, artes visuais, artes cênicas, literatura, entre outras – com o objetivo de promover a diversidade cultural, garantindo a originalidade das expressões culturais locais e seu potencial de crescimento.

MARACÁ CIDADANIA > maracacidadania.org/

A Maracá Cidadania é uma organização da sociedade civil paraibana, fundada como associação sem fins lucrativos, com o objetivo de exercer controle social e desenvolver projetos dedicados à cidadania. O maracá é um instrumento de força usado pelos povos indígenas para chamar bons espíritos e afastar energias negativas. Inspirada por este imaginário, a Maracá vem promover Cidadania como uma prática cultural transversal, buscando o bem comum de todos os povos.

A Maracá atua nas áreas de controle social, meio ambiente, cultura, educação e saúde, com foco na construção de uma consciência planetária voltada para o desenvolvimento sustentável, por meio da participação social direta na vida pública.

CIRCUITO VARADOURO CULTURAL > fb.com/varadourocultural

O Circuito Varadouro Cultural é um projeto que visa promover a difusão cultural descentralizada na região do Centro Histórico da capital paraibana e desenvolver um processo de formação continuada com jovens em situação de risco de comunidades da região central da cidade. Por meio da realização de uma programação diversa, com oficinas e espetáculos de diversas linguagens artísticas e campos da cultura por diversos pontos da região, busca atuar na formação de público e no acesso da população à diversidade artística.